O que é HPV?

HPV

HPV também conhecido vulgarmente como “Crista de Galo” é uma doença transmitida pelo “Human Papiloma Vírus”, habita nas mucosas dos seres humanos vagina, vulva, pênis e colo do útero. Mesmo sem ter desenvolvido a doença, estima-se que aproximadamente 80% da população já tenha entrado em contato com o vírus em algum momento da vida, porém eliminam do organismo sem ter sintomas clínicos.

HPV é uma DST, ou seja, uma doença sexualmente transmissível. Existe outra forma de contagio que é no momento do parto. O HPV possui controle, mas não tem cura.

Se o vírus não for tratado de forma correta o HPV pode causar câncer na garganta, pênis e no colo do útero. Pesquisas apontam que mais de 85% dos casos de câncer no colo do útero ocorreram devido à infecção das mulheres pelo HPV.

Quais os tipos de HPV e como detectar?

Existem mais de 150 tipos de vírus para o HPV, alguns podem causar câncer (colo do útero, pênis, garganta e ânus), outros provocam verrugas típicas da pele e lesões nas mucosas. São classificados em grupos numéricos de baixo ou alto risco.

Dois tipos de testes são capazes de detectar o HPV: PCR teste genético e Teste de captura híbrida que trazem informações importantes como o tipo, qual carga viral e se pode evoluir para um câncer.

Como o HPV é transmitido?

O contágio só acontece no contato pele com pele ou na mucosa infectada, porém, em mais de 90% dos casos a transmissão ocorre no sexo sem proteção.

HPV também pode ser transmitido ao compartilhar objetos pessoais como toalhas, roupas, mas para tal é necessário que exista secreção com o vírus vivo no objeto.

Independe de sexo ou raça. A questão é que por ter características diferentes as complicações da doença nas mulheres são mais comuns.

O HPV é altamente contagioso, basta apenas um contato com algum indivíduo infectado para se contaminar e o tempo de incubação do vírus varia de 1 mês a até 2 anos, nesse tempo mesmo sem apresentar nenhum sintoma a pessoa pode transmitir o vírus.

Sintomas do HPV

HPV nem sempre apresenta sintomas por isso é importante estar atento e sempre praticar sexo seguro utilizando a camisinha.

Quando genital – podem ocorrer pequenas verrugas que são apresentadas em grupos ou isoladas e em alguns casos com aspecto de couve-flor. Se tratadas no início podem desaparecer, mas a doença continua lá, algumas pessoas nunca saberão que são portadoras do vírus até desenvolver algo mais complexo, como o câncer,  por isso a importância da prevenção.

Também podem aparecer verrugas na boca, garganta, coxas, mãos e serem facilmente confundidas com doenças de pele.

Os sintomas visíveis são:

– Ardência e irritabilidade no local.

– Coceira.

– Verrugas.

HPV

O que fazer se suspeitar de contagio?

Em caso de suspeita como aparecimento de verrugas ou sexo desprotegido as mulheres precisam procurar o ginecologista e os homens o urologista. O ideal é realizar todos os exames de prevenção pelo menos uma vez ao ano.

Os exames solicitados para diagnosticar o HPV e também outras doenças são:

– Papanicolau – Exame realizado nas mulheres e é efetuada uma raspagem no colo do útero e o material enviado para análise em laboratório.

– Colposcopia – Exame que abrange toda região da vulva e parte interna da vagina através de substâncias colocadas na região que evidencia locais com suspeita de lesões causadas pelo HPV.

– Biopsia – Com suspeita de lesão é retirado um pequeno pedaço do tecido que é enviado para análise.

– Exame de Sangue.

– Para o homem é solicitado um exame chamado Peniscopia, o médico utiliza um aparelho semelhante a uma lupa que auxilia em detectar pequenas verrugas e lesões no pênis. Se o médico suspeitar faz uma raspagem no local e envia o material para análise em laboratório.

Tratamento do HPV

HPV não tem cura e sim tratamento os mais comuns são:

– Pomadas e soluções específicas aplicadas pelo médico.

– Cirurgias (laser) que cauterizam as lesões, porém as verrugas podem voltar e por isso o tratamento pode ser necessário de tempos em tempos.

O tratamento de modo geral pode ser longo e até cansativo, mas é a única forma de vencer o vírus e evitar que evolua para algo mais grave.

A Vacina

Atualmente existe uma vacina contra o HPV indicada para homens e mulheres com a faixa etária de 9 a 26 anos, onde o objetivo é amenizar o risco de câncer no colo do útero, ânus e pênis. A eficácia da vacina é de 100% quando administrada antes do início da vida sexual, por isso é gratuita pelo Sistema Único de Saúde para crianças entre 9 e 13 anos. A partir dos 14 anos a vacina deve ser comprada.

HPV

Quem já iniciou a vida sexual ou já teve HPV pode tomar a vacina também já que ela protege contra outros tipos da doença. Apesar de eficaz, pode apresentar efeitos colaterais.

Previna-se. O uso da camisinha em todas as relações sexuais é a forma mais eficaz de evitar o contágio do HPV e outras DST’s.

Gostou desse artigo? Curta, comente, compartilhe.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui